O próprio tempo

O próprio tempo

Temos nosso próprio tempo

 

Atender nossas próprias necessidades físicas, intelectuais e espirituais é mergulhar num poço de energia que deve ser reabastecido regularmente. Nossa longa lista de atividades que se encaixam como peças de quebra-cabeça em cada minuto de cada dia, pode nos esgotar trazendo a sensação que estamos exaustos, desconectados e fracos. 

O cansaço pode se confundir com a tristeza, e nessa confusão, muitas das vezes, acabamos consumindo alimentos que chamo de energia instantânea, mas que não é duradoura.

Nutrir e cuidar de nós mesmos é duradouro!

Embora algumas pessoas inevitavelmente olham para o próprio tempo como sendo egoístas, saiba que isso é, realmente, o oposto do egoísmo. 

 




Reconhecer a importância desse tempo é muito fácil quando a vida nos para por algum motivo.

Não chegue nesse limite!

 

Busque um estilo de vida ativo e multifacetado, e encontre um lugar para o seu próprio tempo em sua agenda. 

Para aproveitar ao máximo o seu próprio tempo, combine com você mesmo quanto tempo pretende gastar em si mesmo para garantir que não vai se sinta apressado ou pressionado. 

Considere como você gostaria de passar o seu próprio tempo, esquecendo por um instante suas obrigações e abraçando a noção de renovação. 

 

Você pode descobrir que você está energizado por atividades criativas, meditação guiada, atividades relaxantes durante as quais sua mente pode vagar, ou modos de expressão, como a escrita, ou, simplesmente, não faça nada!

 

Aproveite de você mesmo, com você mesmo, e assim terá clareza das suas necessidades e suas tolerâncias.

Seu próprio tempo é crucial para o seu bem-estar, isso garante que você nunca fique sem a energia para dar o melhor de si mesmo! 

 


Comentários (0)

Adicionar Comentário